Dilemas Morais na Gestão Pública: o estado do conhecimento sobre o tema

Laís Silveira Santos, Mauricio C. Serafim, Larissa Lorenzi

Resumo


Na tomada de decisão entre conjuntos de valores pode ocorrer a formação de dilemas morais que não aceitam todas as alternativas possíveis de ação para resolvê-los, que possuem difíceis saídas e o conflito como característica crucial. O objetivo do artigo é construir um estado do conhecimento sobre o tema dilemas morais, de modo a compreender como eles estão sendo estudados na gestão pública. Para tanto, foi realizada uma revisão sistemática de literatura, por meio do Portal da EBSCOhost que, após a aplicação de critérios de seleção, resultou em um total de 28 artigos para análise. Os estudos indicam que os dilemas podem existir não apenas entre valores no âmbito individual, mas também entre diferentes culturas e valores organizacionais. As motivações para o estudo dos dilemas morais estão associadas à necessidade do gestor de tomar uma decisão frente a um dilema, uma vez que a maioria deles precisa de mais informações para avaliar os caminhos de ação quando se envolve a tomada de decisão, principalmente quando relacionada a um assunto de interesse público. A liderança, a competência moral e o ensino de ética são apontados como aspectos relevantes no enfrentamento de dilemas que não podem ser respondidos somente a partir de critérios técnicos. Por fim, indica-se a necessidade de discutir quais são os dilemas vivenciados na gestão pública brasileira diante da complexidade de sua gestão. Entretanto, se utilizadas teorias e métodos internacionais de análise, é importante considerar a realização de uma ‘redução sociológica’ como método de assimilação crítica de teorias estrangeiras.


Palavras-chave


Dilema Moral; Dilema Ético; Gestão Pública; Administração Pública; Estado do Conhecimento

Texto completo:

PDF

Referências


Administration & Society. (2017). Recuperado em 24 de abril, 2017, do http://journals.sagepub.com/home/aas>

Ahner, G. (2009). Ética nos negócios: construir uma vida, não apenas ganhar dinheiro. São Paulo, Paulinas.

Bariani, E. (2006). Guerreiro Ramos: Uma Sociologia em Mangas de Camisa. CAOS - Revista Eletrônica de Ciências Sociais, 11, 84-92.

Bateman, C., Fraedrich, J., & Iyer, R. (2002). Framing Effects within the Ethical Decision Making Process of Consumers. Journal of Business Ethics, 36(1/2), 119-140.

Capes – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (2017). Qualis CAPES. Recuperado em 04 de abril, 2017, do http://www.capes.gov.br/component/%20content/article?id=2550:capes-aprova-a-nova-classificacao-do-qualis

Chanlat, J. F. (1996). Por uma Antropologia da Condição Humana nas Organizações. In: Chanlat, J. F. (coord). (1996). O Indivíduo na Organização: Dimensões Esquecidas, São Paulo: Editora Atlas, 1, 21-45.

Christensen, S. (2008). The Role of Law in Models of Ethical Behavior. Journal of Business Ethics, 77(4), 451-461

Cooper, T. (1982). The Responsible Administrator. Kennikat Press, Port Washington, New York.

Denhardt, K. G. (1988). The Ethics of Public Service: resolving moral dilemmas in public organizations. Greenwood Press Inc.: Connecticut.

Denhardt, R. B. (2012). Teorias da administração pública. São Paulo: Cengage Learning.

Di Napoli. Dilemas Morais. (2014). In: TORRES, J. C. B. (org.). (2014). Manual de ética: Questões de ética teórica e aplicada. Petrópolis: Vozes; Caxias do Sul: Educs; Rio de Janeiro: BNDES.

Dillard, J., & Yuthas, K. (2002). Ethical Audit Decisions: A Structuration Perspective. Journal of Business Ethics, 36(1/2), 49-64.

Dubnick, M. J. & Justice, J. B. (2006). Accountability and the Evil of Administrative Ethics. Administration and Society, 38(2), 236-67.

Faoro, R. (2012). Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. São Paulo: Globo.

Ferreira, N. S. A. (2002). As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, 23(79), 257-272.

French, P., & Raymond, E. (2009). Pandemic Influenza Planning: An Extraordinary Ethical Dilemma for Local Government Officials. Public Administration Review, 69(5), 823-830.

Gomes, N. F. (2014). Ética na administração pública: desafios e possibilidades. Revista de Administração Pública, 48(4), 1029-1050.

Jagd, S. (2011). Pragmatic sociology and competing orders of worth in organizations. European Journal of Social Theory, 14(3), 343-59.

Journal of Business Ethics. (2017). Recuperado em 24 de abril, 2017, do http://www.springer.com/philosophy/ethics+and+moral+philosophy/journal/10551

Kidder, R. M. (2007). Como tomar decisões difíceis: muitas vezes na vida você precisa escolher entre o certo e o certo. São Paulo: Gente.

Lind, G. (2000). O significado e medida da competência moral revisitada: um modelo do duplo aspecto da competência moral. Psicol. Reflex. Crit., Porto Alegre, 13(3), 399-416.

Loeb, S., & Cory, S. (1989). Whistleblowing and Management Accounting: An Approach. Journal of Business Ethics, 8(12), 903-916.

Longenecker, C., & Ludwig, D. (1990). Ethical Dilemmas in Performance Appraisal Revisited. Journal of Business Ethics, 9(12), 961-969.

Luk, S. C. Y. (2012). Questions of Ethics in Public Sector Management: The Case Study of Hong Kong. Public Personnel Management, 41(2), 361-378.

McConnell, T. (2017). Moral Dilemmas. Stanford Encyclopedia of Philosophy. Recuperado em 17 de julho, 2017, do http://plato.stanford.edu/entries/moral-dilemmas/

Menzel, D. (1997). Teaching Ethics and Values in Public Administration: Are We Making a Difference? Public Administration Review, 57(3), 224-230.

Milton-Smith, J. (1997). Business Ethics in Australia and New Zealand. Journal of Business Ethics, 16(14), 1485-1497.

Oldenhof, L., Postma, J. & Putters. (2014) On justification work: how compromising enables public managers to deal with conflicting values. Public Administration Review, 74(1), 52-63.

Overeem, P., &Verhoef, J. (2014). Moral dilemmas, theoretical confusion: Value pluralism and its supposed implications for public administration. Administration & Society, 46, 986-1009.

Pérez, L. C. (2016). Revisión Sistematica de la Producion Española sobre rendimento academico entre 1980 a 2011. Revista Complutense de Educación, 27(1), 119-139.

Pinto, A. L., & Fausto, S. (2012). Revistas internacionais para a área de ciência da informação: outra visão além do sistema qualis. Informação e informação, 17(3), 23-48.

Posner, B., & Schmidt, W. (1987). Ethics in American Companies: A Managerial Perspective. Journal of Business Ethics, 6(5), 383-391.

Public Administration Review. (2017). Recuperado em 24 de abril, 2017, do https://publicadministrationreview.org

Ramos, A. G. (1996). A redução sociológica. 3ª ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

Romanowski, J. P., & Ens, R. T. (2006). As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educ., 6(19), 37-50.

Rossy, G. L. (2011). Five questions for addressing ethical dilemmas. Strategy & Leadership, 39(6), 35-42.

Siekierski, P., & Lima, M. C. (2016). Brain Drain / Brain Gain. O estado da arte sobre a questão. Anais do XL ENANPAD, Costa do Sauípe, Bahia.

Silverman, D. (2009). Interpretação de dados qualitativos: métodos para análise de entrevistas, textos e interações. Tradução Magda França Lopes. Porto Alegre: Artmed.

Singhapakdi, A., Marta, Janet K. M., Rao, C. P. & Cicic, M. (2001). Is Cross-Cultural Similarity an Indicator of Similar Marketing Ethics? Journal of Business Ethics, 32(1), 55–68.

Stake, R. E. (2011). Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Penso.

Stewart, D. W., Sprinthall, N. W. & Shafer, D. M. (2001). Moral Development in Public Administration. In: Cooper, T. L. (ed.). 2001. Handbook of Administrative Ethics (2nd ed.). New York: Marcel Dekker.

Villoria, M. (2007). Ética postconvencional e instituciones en el servicio público. Revista Española de Investigaciones Sociológicas, n. 117, 109-140.

Wachs, M. (1982). Ethical Dilemmas in Forecasting for Public Policy. Public Administration Review, 42(6), 562-567.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v9i1.719

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Laís Silveira Santos, Mauricio C. Serafim, Larissa Lorenzi

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia