Evidências da Adaptação de Profissionais de Secretariado ao Trabalho Virtual

Naira Fanzeres, Luciana Lima

Resumo


Este artigo buscou verificar como se dá o ajuste, pelo profissional de assessoria executiva, ao trabalho virtual. Para isso, a amostra de trinta e um profissionais que atuam virtualmente como assessores executivos, responderam um questionário padronizado e aplicado por Raghuram, Garud, Wiesenfeld e Gupta (2001) em estudo de mesma natureza. Esse é constituídos por dezoito afirmações fechadas do tipo Likert divididas em quatro seções: independência no trabalho virtual, clareza nas avaliações e conexão organizacional, confiança interpessoal. Dentre os achados, destacam-se que clareza das avaliações, referente aos fatores estruturais do trabalho virtual, e confiança interpessoal, pertencente aos fatores relacionais, apresentam os maiores índices de concordância por parte dos participantes. Verificou-se que 87% mostram-se satisfeitos em trabalhar de forma virtual e este achado demonstra o ajuste a esse tipo de modalidade de trabalho flexível. Além disso, esse ajuste é reforçado pelo fato de que, apesar de 70% dos respondente afirmarem terem aumento de produtividade, a telepressão não parece os afetar e 77% defendem que há equilíbrio entre vida pessoal e profissional atuando de forma virtual. Almejou-se contribuir para o aprofundamento dessa temática proporcionando uma discussão mais assertiva sobre a realidade dos assessores executivos, além de fornecer informações aos cursos de formação profissional.


Palavras-chave


Assessoria Executiva Virtual; Trabalho remoto; Tele-trabalho; Secretariado Executivo; Trabalho Virtual

Texto completo:

PDF

Referências


DURANTE, D. G.; PONTES, E. S. (2015). Produção Intelectual em Secretariado Executivo: estudo na Revista de Gestão e Secretariado (GeSec). Revista de Gestão e Secretariado – GeSec, São Paulo, 6, 23-47.

Gilson, L. L., Maynard, M. T., Young, N. C. J., Vartiainen, M., & Hakonen, M. (2015). Virtual teams research 10 years, 10 themes, and 10 opportunities. Journal of Management, 41, 1313-1337.

IIZUKA, E. S.; ALMEIDA, W. A. G. (2014) Produção Acadêmica em Secretariado: análise dos artigos da Revista de Gestão e Secretariado (GeSec) e da Revista Secretariado Executivo em Revist@ entre 2005 e 2012. Revista de Gestão e Secretariado – GeSec, 5, 71-93.

JÚNIOR, J. C. F. (2010). Telecommuting: o paradigma de um novo estilo de trabalho. Revista de administração de empresas, 40, 8-17.

OBISI, C. (2016). The Empirical Validity of the Adjustment to Virtual Work Arrangement by Business Organisations in Anambra State, Nigeria. International Journal of Scientific Research in Education, 9, 173-181.

RAGHURAM, S. et al. (2001). Factors contributing to virtual work adjustment. Journal of Management, 383-405.

SAKO, E. S. A. (2012). Teletrabalho Telessubordinado, Dependente e Por Conta Alheia: Reengenharia dos Requisitos da Relação Empregatícia. Revista TST, 78, 17-36.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v9i1.634

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Naira Fanzeres, Luciana Lima

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia