Os Concursos para o Cargo de Secretário Executivo nas Instituições Federais de Ensino Superior

Autores

  • Luciana Nunes de Oliveira Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Marina Lopes Soares INTERNACIONAL COMISSÁRIA DE DESPACHOS ADUANEIROS LTDA
  • Ludmila Maria Martins de Oliveira Universidade Federal de Viçosa
  • Nanci Fernandes de Paula Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.7769/gesec.v7i3.542

Palavras-chave:

Secretário executivo. Concurso público. Instituições Federais de Ensino Superior.

Resumo

O profissional com formação acadêmica em Secretariado Executivo está a cada dia mais inserido no mercado de trabalho, tanto no setor privado como no público. Porém, os certames públicos lançados atualmente, por diversas vezes apontam vagas para o cargo de secretário executivo, no qual para a investidura nesse cargo não necessariamente é obrigatório o curso superior de Secretariado Executivo, tampouco habilitação profissional, possibilitando que graduados em diversas áreas do conhecimento ingressem no setor público como “secretários executivos”. Diante do exposto, o presente artigo teve como objetivo identificar e apresentar, no âmbito do setor público, especificamente nas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), no período compreendido entre 2009 a 2015, as exigências e critérios estabelecidos para os concursos públicos destinados a secretários executivos. Foram identificados 110 editais que disponibilizaram 531 vagas, sendo que somente 308 vagas (de 57 editais) foram exclusivamente destinadas aos candidatos habilitados profissionalmente, de acordo com a Lei nº 7.377 de 30 de setembro de 1985. Foi possível perceber que algumas IFES não exigiram em seus editais a habilitação profissional conforme Ofício Circular nº 015/2005 do MEC (Ministério da Educação), ocasionando um prejuízo ao profissional que possui a habilitação profissional. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Nunes de Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Rio Grande do Sul, Brasil

Possui Graduação em Secretariado Executivo Trilíngue pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Especialista em Logística Empresarial pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Mestre em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (RS). Atualmente é Secretária Executiva da Universidade Federal de Santa Maria (RS)

Marina Lopes Soares, INTERNACIONAL COMISSÁRIA DE DESPACHOS ADUANEIROS LTDA

Analista de Carga Internacional na Internacional Comissária de Despachos Aduaneiros Ltda./ Belo Horizonte - MG. Graduada em Secretariado Executivo Trilingue, pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), Pós-graduada em Gestão Estratégica da Comunicação Organizacional pelo Centro Universitário UNA - BH/MG. Desenvolve pesquisas na área de Secretariado Executivo.

Ludmila Maria Martins de Oliveira, Universidade Federal de Viçosa

Bacharel em Secretariado Executivo Trilíngue pela Universidade Federal de Viçosa e Assistente em Administração na Universidade Federal de Viçosa.

Nanci Fernandes de Paula, Universidade Federal de Viçosa

Graduada em Secretariado Executivo Trilíngue (UFV). Tem interesses nas áreas de Secretariado, Linguistica, Comunicação, Estudos Organizacionais e Eventos. Atualmente trabalha como Secretária Executiva Na Universidade Federal de Viçosa.

Referências

Cardoso Júnior, J. C. & Nogueira, R. P. (2011). Ocupação no setor público brasileiro: tendências recentes e questões em aberto. Revista do Serviço Público, 62 (3), 237-260.

Carvalho, R. M. U. (2009). Aspectos relevantes do concurso público. Revista do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. Edição Especial - ano XXVIII

Fontainha, F. C.; Geraldo, P. H. B.; Veronese, A.; Alves, C. S.; Figueiredo, B. H. & Waldburguer, J. (2014). Processos seletivos para contratação de servidores públicos: Brasil, o país dos concursos? Rio de Janeiro: Direito Rio.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (4a. ed.) São Paulo: Atlas.

Gonçalves, C. A. & Meirelles, A. M. (2004). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.

Halici, A.; Yilmaz, B. & Kasimoglu, M. (2011). Employment predictions in secretarial occupation. Procedia Social and Behavioral Sciences, 24, 435-44.

Laville, C. & Dionne, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: UFMG.

Lei nº 7.377, de 30 de setembro de 1985 (1985, 30 de setembro). Dispõe sobre o Exercício da Profissão de Secretário, e dá outras providências. Recuperado em 12 de novembro, 2014, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7377.htm

Lei nº 9.261, de 10 de janeiro de 1996 (1996, 10 de janeiro). Altera a redação dos incisos I e II do art. 2º, o caput do art. 3º, o inciso VI do art. 4º e o parágrafo único do art. 6º da Lei nº 7.377, de 30 de setembro de 1985. Recuperado em 12 de novembro, 2014, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9261.htm#art1

Lei no 11.091, de 12 de janeiro de 2005 (2005, 12 de janeiro). Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-administrativos em Educação, no âmbito das Instituições Federais de Ensino vinculadas ao Ministério da Educação, e dá outras providências. Recuperado em 17 de março, 2013, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11091.htm

Mazulo, R. & Liendo, S. (2010). Secretária. São Paulo: Senac.

Melo, P. A. (2008). A autonomia universitária e seus reflexos na gestão e nos resultados de universidades brasileiras. In Laner & C. J. (Orgs.). Indivíduo, organizações e sociedade. Rio Grande do Sul: Unijuí, pp. 247-25.

Ministério da Educação (MEC). Ofício Circular n. 015/2005. Recuperado em 24 de março, 2013, de < http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/canalcggp/oficios/oc01505.pdf>.

Moraes, W. S. (2014). Petismo e chavismo: variedades de capitalismo e de regulação trabalhista no Brasil e na Venezuela. Dados – Revista de Ciências Sociais, 57 (2), 359-397.

Neiva, E. G. & D’Elia, M. E. S. (2009). As novas competências do profissional de Secretariado (2a. ed.). São Paulo: IOB.

Oliveira, L. N. & Moraes, G. C. (2014). O panorama do cargo de Secretário Executivo em uma instituição federal de ensino superior e as implicações da lei 11.091/2005. Revista de Gestão e Secretariado - GeSec, São Paulo, vol. 5, n. 2, pp. 49-71.

Oliveira, M. M. & Silva, A. B. (2011). Gestão de pessoas por competências nas IFES: entendendo os vínculos entre a legalidade e a realidade. In Encontro de gestão de pessoas e relação de trabalho. João Pessoa: Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração.

Parecer CNE/CES 492/2001. (2001, 9 de junho). Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia. Recuperado em 12 de novembro, 2014, de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES0492.pdf

Pereira Júnior, J. T. (2009). Art. 37, incisos e parágrafos. In Bonavides, P. (org.); Miranda, J. (org.); Moura Agra, W. (org.). Comentários à Constituição Federal de 1988. Rio de Janeiro: GEN/Forense.

Resolução n. 3, de 23 de junho de 2005. (2005, 23 de junho). Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Secretariado Executivo. Recuperado em 12 de novembro, 2014, de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces003_05.pdf

Santos, C. V. & Caimi, F. E. (2009). Secretário Executivo: formação, atribuições e desafios profissionais. In D. G. Durante & A. A. Fávero (Org.), Gestão secretarial: formação e atuação profissional (pp. 23-41). Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo.

Schumacher, A. J.; Portela, K. C. A. & Borth, M. R. (2013). Ferramentas do Secretário Executivo (2a. ed.). Cuiabá: Dos Autores.

Downloads

Publicado

2016-12-02

Como Citar

Oliveira, L. N. de, Soares, M. L., Oliveira, L. M. M. de, & Paula, N. F. de. (2016). Os Concursos para o Cargo de Secretário Executivo nas Instituições Federais de Ensino Superior. Revista De Gestão E Secretariado, 7(3), 202–225. https://doi.org/10.7769/gesec.v7i3.542

Edição

Seção

Artigos