Empreendedorismo por estilo de vida: estudo exploratório sobre fatores motivacionais, características e gestão

Artur Tavares Vilas Boas Ribeiro, Patricia Viveiros de Castro Krakauer

Resumo


Esse artigo tem como proposta compreender o empreendedorismo por estilo de vida, temática contemporânea e considerada de fronteira do conhecimento, dada a não homogeneidade entre os estilos de empreendedores e a consequente falta de convergência de dados empíricos. Considerado como um tipo que nasce do contexto da atualidade, o empreendedorismo por estilo de vida considera o empreendedor em sua individualidade e o negócio por ele iniciado voltado para a paixão pela própria atividade em si, e não apenas para o propósito financeiro como ocorre com outros empreendimentos. A partir de tal percepção, questiona-se quais as motivações e características de gestão de indivíduos que se engajam em um projeto com esta natureza, objetivando comparar as motivações e características listadas na literatura para esse estilo com as encontradas através da pesquisa de campo. Trata-se de um estudo exploratório, qualitativo que utilizou como método o estudo de caso único. Selecionou-se para o estudo a Worldpackers, por ser uma empresa nova e aderente, à luz da teoria investigada, ao lifestyle entrepreneurship. Os principais resultados mostraram que a principal motivação para o engajamento das pessoas é o envolvimento com a proposta do negócio e várias características foram elencadas, entre elas: a criatividade, habilidade para lidar com conteúdo e situações novas e curiosidade para se aprofundar em temas multidisciplinares. O artigo contribui com o conhecimento de um campo ainda carente de investigação ao explorar um grupo específico de empreendedores.


Palavras-chave


Empreendedorismo por estilo de vida; Motivação; Características; Gestão

Texto completo:

PDF

Referências


Acs, Z. J.; Desai, S. & Hessels, J. (2008). Entrepreneurship, economic development e institutions. Small Business Economic.

Andreassi, T. et al. (2011). Global Entrepreneurship Monitor. Empreendedorismo no Brasil. Curitiba: IBPQ.

Dahlstrand, A. L. (2007). Technology-based entrepreneurship and regional development: The case of Sweden. European Business Review. Bradford, v. 19, n.5, p 373-386.

Drucker, P. F. (1998). Inovação e espírito empreendedor: prática e princípios. 5. ed. São Paulo: Pioneira.

Filion, L. J. (1999). Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração, São Paulo, v.34, n.2, p.5-28.

Filley, A. & Aldag, D. (1978). Characteristics and measurement of an organizational typology. Academy of Management Journal, v.21, n.4, p.578-591.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed.

Gibb, A.A. (1996). Entrepreneurship and small Business Management: Can we afford to neglect them in the twenty-first century business school? British Journal of Management, 7:4, p 309-324.

Gilad B. & Levine P. (1986). A behavioral model of entrepreneurial supply. Journal of Small Business Management. Outubro.

Henderson, J. (2002). Building the rural economy with high-growth entrepreneurs. Economic Review, 87(3), pp. 45-70.

Machado, J. C.; Torres, M. & Abreu, M. A. (2009). Desafios e Oportunidades de Negócios com Pequenas e Médias Empresas. Relatório da Serasa Experian Business Information. Disponível em http://www.serasaexperian.com.br/cursosinteresses/palestras/ftp/ftp_0099.pdf

Acesso em 17/05/2015.

Marcketti, S. B.; Niehm, L. S. & Fuloria, R.. (2006). An exploratory study of lifestyle entrepreneurship and its relationship to life quality. Family and Consumer Sciences Research Journal, v. 34, n. 3, p. 241-259.

Martes, A. C. B. (2010). Weber e Schumpeter – A ação econômica do empreendedor. Revista de Economia Política, vol. 30, nº 2 (118), p 254-270, abril-junho.

Peters, M.; Frehse, J. & Buhalis, D. (2009). The importance of lifestyle entrepreneurship: A conceptual study of the tourism industry. PASOS - Revista de Turismo y Patrimônio Cultural, Vol. 7, n2, p. 393-405.

Santanna, A.; Nelson, R. & Oliveira, F. (2011). Empreendedorismo e o desenvolvimento do turismo na cidade de Tiradentes. Revista Acadêmica Observatório de Inovação do Turismo, v. 6, n.1, p.1-27.

Santanna, A. S.; Oliveira, F. B. & Diniz, D. M. (2012). Tipos de empreendedores em dinâmicas de reconversão de funções econômicas de cidades: uma análise sob a perspectiva de Bourdieu. Gestão e Sociedade, v.6, n.15, p.378-406.

Sarasvathy, S. D. (2004). The questions we ask and the questions we care about: reformulating some problems in entrepreneurship research. Journal of Business Venturing. V.19, p.707-717.

Sarasvathy, S. D. & Venkataraman, S. (2011). Entreneurship as method: Open questions for an entrepreneurial future. Entrepreneurship Theory and Practice, v. 35, p.113-135.

Schumpeter, J. A. (1982). Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural.

Schumpeter, J. A. (1996). Capitalism, socialism and democracy. London: Routledge.

SEBRAE. Boletim Estatístico de Micro e Pequenas Empresas. 2005. Disponível em

http://www.dce.sebrae.com.br/bte/bte.nsf/03DE0485DB219CDE0325701B004CBD01/$File/NT000A8E66.pdf

Acesso em 17/05/2015.

Shane, S. & Venkataraman, S. (2000). The promisse of entrepreneurship as a field of

research. Academy of Management Review, v.25, n.1, p.217-226.

Singer, S.; Amorós, J. E. & Arreola, D.M. (2015). Global Entrepreneurship Monitor Global Report 2014. Babson College, Universidad Del Desarrollo, UniversitiTun Abdul Razak, Tecnológico de Monterrey, London Business School. 116 p.

Smith, A.. (1967). The entrepreneur and his firm: The relationship between type of man and type of company. Michigan State University: East Lansing, MI.

Velasco, M. G. & Saleilles, S. (2007). The local embeddedness of lifestyle entrepreneur: an exploratory study. Interdisciplinary European Conference on Entrepreneurship Research.

Vesper, K. H. (1990). New Venture Strategies. University of Illinois at Urbana-Champaign's Academy for Entrepreneurial Leadership Historical Research Reference in Entrepreneurship. Disponível em: http://ssrn.com/abstract=1496217

Zahra, S.; Gedajlovic, E.; Donald, O.; Neubaum, D. & Shulman, J.. (2009). A typology of social entrepreneurs: motives, search processes and ethical challenges. Journal of Business Venturing 24 (5), 519-532.

Zanni, P. P.; Moraes, G. H. S. M. & Mariotto, F. L. (2011). Para que servem os Estudos de Caso Único? Associação Nacional de pós-graduação e pesquisa em administração, ANPAD, Rio de Janeiro. Anais de...

WORLDPACKERS. (2015). Disponível em: https://www.worldpackers.com/ Acesso em: 10/04/2015

Yin, R. (2005). Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. 3ª. ed. Porto Alegre: Bookman.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v7i1.439

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Artur Tavares Vilas Boas Ribeiro, Patricia Viveiros de Castro Krakauer

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia