As Competências do Profissional de Secretariado na Implantação de Projetos Sustentáveis

Maria do Carmo Assis Todorov, Claudia Terezinha Kniess, Marcírio Silveira Chaves

Resumo


Desde a década de 1990, o tema da Sustentabilidade passou a incorporar com mais intensidade o mundo dos negócios (Barbieri, Vasconcelos, Andreassi, & Vasconcelos, 2010). Neste sentido, o gerenciamento de projetos precisou levar em conta a sustentabilidade, em suas três dimensões: econômica, ambiental e social (Carvalho & Rabechini Jr, 2011). O gerenciamento de projetos sustentáveis também cresceu nas últimas décadas, exigindo profissionais que contribuam para o sucesso destes projetos (Souza, 1993). Diante deste cenário, este trabalho busca responder a seguinte questão: Quais as competências do profissional de secretariado na implantação de projetos sustentáveis? O objetivo do trabalho é identificar as competências do profissional de secretariado na implantação de projetos sustentáveis, por meio de uma pesquisa qualitativa e exploratória. As competências apresentadas pelos 206 respondentes compatíveis com as competências da sustentabilidade são: gerenciamento de informações, assegurando uniformidade e referencial para diferentes usuários; habilidade de lidar com modelos inovadores de gestão; adoção de meios alternativos relacionados com a melhoria da qualidade e da produtividade dos serviços; abertura às mudanças, iniciativa, criatividade, determinação, vontade de aprender; consciência das implicações e responsabilidades éticas e utilização do raciocínio lógico, crítico e analítico; domínio dos recursos de expressão e de comunicação, inclusive nos processos de negociação e nas comunicações interpessoais ou inter-grupais.

DOI: 10.7769/gesec.v4i3.275


Palavras-chave


Competências, Secretariado, Projetos Sustentáveis.

Texto completo:

PDF

Referências


Adelino, F. J. & Silva, M. A. V. (2012). A tecnologia da informação como agente de mudança no perfil do profissional de secretariado. Revista de Gestão e Secretariado, 3(2), 05-23.

Aguero, C. F. R. (2012). La secretaria sustentable. Posadas: Creativa.

Barbieri, J. C. (2010). Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva.

Barbieri, J. C.; Vasconcelos, I. F.; Andreassi, T. & Vasconcelos, F. (2010). Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. Revista de Administração de Empresas (RAE), vol. 50, n. 2.

Brito, R. P. & Berardi, P. C. (jun/2010). Vantagem competitiva na gestão sustentável da cadeia de suprimentos: Um metaestudo. Revista Administração de Empresas, São Paulo, vol. 50, n. 2.

Bruno, I. M. (2006). O poder de influência do profissional de secretariado no processo decisório das organizações. Dissertação de mestrado em Administração de Empresas. Pontifícia Universidade Católica, São Paulo.

Carvalho, M. M. & Rabechini Jr, R. (2006). Construindo competências para gerenciar projetos: teorias e casos. São Paulo: Atlas.

_____. R. (2011). Fundamentos em gestão de projetos - Construindo competências para gerenciar projetos. São Paulo: Atlas.

Claro, P. B. O: Claro, D. P., & Amâncio, R. (outubro-dezembro, 2008). Entendendo o conceito de sustentabilidade nas organizações. Revista de Administração - RAUSP, vol. 43, núm. 4, pp. 289-300.

CNE-Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. (2005). Resolução CNE/CES N. 4, de 23 de junho de 2005. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Secretariado Executivo. Brasília: Diário Oficial da República Federativa da União. Seção 1, p. 79, 14 de julho de 2005.

Durand, T. (1998). Forms of incompetence. I: Fourth International Conference on Competence, Based Management. Osb: Norwegian School of Management.

Elkington, J. (2001). Canibais com garfo e faca. São Paulo: M. Books.

Fleury, M. T. L. & Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Rev. Administração Contemporânea, Curitiba, vol. 5, n. spe.

Frame, J.D. (1999) Project management competence: building key skills for individuals, teams and organizations. São Francisco: Jossey-Bass.

Halice, A.; Yilmaz, B. & Kasimoğlu, M. (2012). Employment Preedictions in Secretarial Occupation. Journal of Management and Sustainability. (Vol. 2., no. 2.)

Jabbour, C. J. C.: Santos, F. C. A., & Jabbour, A. B. L. de S. (2009). A importância dos fatores humanos no desenvolvimento de produtos com elevado desempenho ambiental: estudo de casos. Revista de Administração Mackenzie - RAM, 10(4), 32-56.

Kerzner, H. (2006). Gestão de projetos: as melhores práticas. (2a ed.) Porto

Alegre: Bookman.

_____. (2011). Gerenciamento de projetos. Uma abordagem sistêmica para planejamento, programação e controle. São Paulo: Blucher.

Leal, C.E. (2009). A era das organizações sustentáveis. Revista Eletrônica Novo Enfoque da Universidade Castelo Branco, Vol. 8 (n.8).

Le Boterf. G. (1994). De la compétence: essai sur un attracteur étrange. Paris: Éditions d’Organizations.

Lei 7.377/85 e Lei 9.261/96. Recuperadas em 10 set. 2013 de http://www.sinsesp.com.br/index.php/secretariasos/70/271-lei7377. Acesso em 10/09/2013.

Martens, M. L.; Brones, F. & Carvalho, M. M. (jan./abr. 2013). Lacunas e tendências na literatura de sustentabilidade no gerenciamento de projetos: uma revisão sistemática mesclando bibliometria e análise de conteúdo. Revista de Gestão e Projetos - GeP, São Paulo, vol. 4, n. 1, pp. 165-195.

Martins, C. B., Terra, P. M., Maccari, E. A., & Vicente, I. (2010). A formação do profissional em secretariado executivo no mercado de trabalho globalizado. Revista de Gestão e Secretariado, 1(1), 69-89.

Martins, G.A. & Theóphilo, C. R. (2009). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

Maximiano, A. C. A. (2002). Administração de projetos. São Paulo: Atlas.

Munck, L. & Borim-de-Souza, R. B. B. (2009). Gestão por competências e sustentabilidade empresarial: em busca de um quadro de análise. Gestão e Sociedade, vol. 3, n. 6, pp. 254-287.

Munck, L. (2013). Gestão da sustentabilidade nas organizações – Um novo agir frente à lógica das competências. São Paulo: Cengage Learning.

Oliveira, A.C. et al. (2011). Alinhamento da estratégia para a sustentabilidade competências essenciais: uma revisão bibliográfica. Ponta Grossa: Combrepo.

Pereira, A. C. (2011). Sustentabilidade na prática: fundamentos, experiências e habilidades. Valinhos-SP: Anhanguera Publicações.

PMI (2008). A guide to the project management body of knowledge – PMbok - Project Management Institute.

Reich, R. (1994). O trabalho das nações. São Paulo: Educator.

RobecoSAM (2013). Measuring Country Intangibles. RobecoSAM’s Country Sustainability Ranking.

Shenhar, A. J., & Dvir, D. (2010). Reinventando Gerenciamento de Projetos. São Paulo: M. Books.

Soares, F.H. & França, S. L. B (2013). Competências para a sustentabilidade: uma contribuição para o desenvolvimento de pessoas no tema em questão. 9º. Congresso Nacional de Excelência em Gestão. Rio de Janeiro.

Souza, M. T. S. (1993). Rumo à prática empresarial sustentável. RAE. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, vol. 33, n. 4, pp. 40-52.

Souza, R. B. O alinhamento entre sustentabilidade e competências em contexto organizacional. (2010). Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Estadual de Maringá (UEM) / Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina.

Thamhain, H. J. (mai./ago. 2012). The Changing Role of Team Leadership in Multinational Project Environments. Revista de Gestão e Projetos - GeP, São Paulo, vol. 3, n. 2, pp. 04-38.

Tódero, M.: Macke, J. & Biasuz, T. S. (2011). O consumo consciente e a relação com as ações de responsabilidade social empresarial. Revista de Gestão Social e Ambiental, 5(1). doi:10.5773/rgsa.v5i1.284

Torquato, G. (1991). Cultura, poder, comunicação e imagem. São Paulo: Pioneira.

Valle, A. B., Soares, P. C. A., Finocchio, J. Jr., & Silva L. S. F. (2007). Fundamentos do gerenciamento de projetos. Rio de Janeiro: FGV.

WCED. Our Common future: The Brundtland Report. Oxford: Oxford University Press, 1987.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v4i3.275

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Maria do Carmo Assis Todorov, Claudia Terezinha Kniess, Marcírio Silveira Chaves

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia