O Processo e os Estilos de Aprendizagem de Gestores de Diferentes Formações: Administradores e não Administradores

Camila Ribas de Souza, Juliana Oliveira Tanaka, Maitê Fumagali Dias, Natacha Bertoia da Silva

Resumo


Este estudo visa a análise e a comparação do processo de aprendizagem de gerentes com formação em administração e de outras formações. Para tanto, foi desenvolvida uma pesquisa de caráter quantitativo, utilizando-se de uma amostra não- probabilística composta por 72 gestores de diversas empresas situadas no estado de São Paulo. Para o tratamento dos dados coletados, foram aplicadas técnicas de estatística descritiva, de estatística multivariada, além da técnica de cálculo de estilos de aprendizagem elaborada por Kolb (1984). Como resultado, foi identificado o estilo de aprendizagem predominante, por acomodação, para o total de gestores da amostra, e a relação desse estilo com as variáveis contextuais (a cultura da empresa, o relacionamento com os demais funcionários, das experiências adquiridas ao realizar o trabalho) e também com a aprendizagem informal. Além disso, foi identificada a preferência dos gestores por esse tipo de aprendizagem, em comparação com a aprendizagem formal, apesar de esse método também ter sido identificado como fator importante para a aquisição de novos conhecimentos no contexto empresarial.

DOI: 10.7769/gesec.v5i2.268


Palavras-chave


aprendizagem; estilos de aprendizagem; aprendizagem formal e informal.

Texto completo:

PDF

Referências


Antonello, C. (2005). A metamorfose da aprendizagem organizacional: uma revisão crítica. In: Ruas, R.; Antonello, C. & Boff, L. (orgs.). Aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman.

______. (2006). Aprendizagem na ação revisitada e sua relação com a noção de competência. Comportamento organizacional e gestão, vol.1, pp. 17-37.

______. (2011). Saberes no singular? Em discussão a falta fronteira entre aprendizagem formal e informal. In: Antonello, C. & Godoy, A. (eds.) Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Artmed.

Antonello, C. & Azevedo, D. (2011). Aprendizagem organizacional explorando o terreno das teorias culturais e das teorias baseadas em práticas. In: Antonello, C. & Godoy, A. (eds.) Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Artmed.

Babbie, E. (2005). Métodos de pesquisas de survey. Belo Horizonte, Minas Gerais: Editora UFMG.

Batista, G. & Silva, M. (2008). Estilo de Aprendizagem Kolb, Cadernos da Fucamp, vol. 7, n.7.

Bido, D., Godoy, A., Ferreira, J., Kenski, J. & Scartezini, V. (2011). Examinando a relação entre aprendizagem individual, grupal e organizacional em uma instituição financeira. Revista Eletrônica de Administração, Rio Grande do Sul, vol. 17, n. 1, pp. 58-85.

Coelho Junior, F. A. & Borges-Andrade, E. J. (2008). Uso do conceito de aprendizagem em estudos relacionados ao trabalho e organizações. In: Paidéia, Ribeirão Preto, volume 18, número 40, pp. 221-234.

D’Amelio, M. (2007). Aprendizagem de competências gerenciais: um estudo com gestores de diferentes formações. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.

______. (2011). Gerentes de diferentes formações e suas trajetórias de aprendizagem. In: Antonello, C.; Godoy, A. (orgs.) Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman.

Dantas, L. (2011). Aplicação do teste de Kolb na análise dos estilos de aprendizagem em ingressantes do Curso de Ciências Contábeis. Educação e formação profissional. Sergipe: UFS.

Easterby-Smith, M; Burgoyne, J. & Araújo, L. (2001). Aprendizagem organizacional e organização de aprendizagem: desenvolvimento na teoria e na prática. São Paulo: Editora Atlas.

Estivalete, V.; Lobler, M. & Pedrozo, E. (2006). Repensando o processo de aprendizagem organizacional no agronegócio: um estudo de caso realizado numa cooperativa destaque em qualidade no RS. Revista de Administração Contemporânea, vol.10, n. 2, pp. 157-178.

Fleury, M. & Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea, edição especial, pp. 183-196.

Fleury, M. & Oliveira Jr, M. (2002). Aprendizagem e gestão do conhecimento. In: Fleury, M. (org). As pessoas na organização. São Paulo: Editora Gente.

Godoy, A. & Antonello, C. (2009). Uma agenda brasileira para estudos em aprendizagem organizacional. Revista de Administração de Empresas. São Paulo. vol. 49, n. 3 pp. 266-281.

Hair, J. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Kolb, D. (1984). Experiential learning: experience as the source of learning and development. New Jersey: Prentice Hall.

Leite, I. (2011) O aprendizado da função gerencial por meio da experiência. In: Antonello, C.; Godoy, A. (orgs.) Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman.

Leite, I.; Godoy, A. & Antonello, C. (2003). aprendizado da função gerencial: os gerentes como atores e autores do seu processo de desenvolvimento. São Paulo: Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Malhotra, N. (2011). Pesquisa de marketing: foco na decisão. (3a ed.). São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Moraes, L.; Silva, M. & Cunha, C. (2004). A aprendizagem gerencial: Teoria e pratica. Revista de Administração de Empresas- eletrônica, vol. 3, n. 1, jul/dez 2004.

Ruas, R.; Antonello, C. & Boff, L. (2006). Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman.

Sampieri, R.; Collado, C.; Lucio, P. (2006). Metodologia de pesquisa (3a. ed.). São Paulo: McGraw-Hill.

Silva, A. (2008). O Contexto social da aprendizagem de gerentes. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, vol. 9, n. 6, pp. 26-52.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v5i2.268

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Camila Ribas de Souza, Juliana Oliveira Tanaka, Maitê Fumagali Dias, Natacha Bertoia da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia