Gestão de eventos: um estudo bibliométrico e sociométrico da produção científica internacional

Francisco Edson Rodrigues da Silva, Joelma Soares da Silva, Elaine Freitas de Sousa, Antonio Roberth Moreira de Alencar Costa

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar as características da produção científica internacional sobre gestão de eventos. Foram analisadas características de uma amostra de 338 artigos disponibilizados na base Scopus, de 1991 a 2019, no que tange aos aspectos de autoria, periódicos, trabalhos mais citados, temáticas centrais, redes de coautoria, de co-citação, e de acoplamento bibliográfico. O trabalho sustenta-se na necessidade do entendimento e da sustentação de uma identidade de pesquisa sobre eventos apontada por Baum, Lockstone-Binney e Robertson (2013). Trata-se de uma pesquisa de natureza quantitativa, descritiva, construída por meio de estudo bibliométrico e sociométrico. Os dados foram analisados com o auxílio dos softwares Microsoft Excel e VOSviewer. Após análise dos dados, foi possível inferir que a pesquisa na área de gestão de eventos encontra-se em ascensão, concentrando-se principalmente na Austrália, Estados Unidos e Reino Unido - países que apresentam cursos de formação de nível superior específicos para o campo de gestão de eventos. Há uma aparente lacuna em relação a trabalhos que foquem em eventos de outra natureza que não só os esportivos ou os festivais, bem como há uma imensa lacuna de produção brasileira presente em bases internacionais, além de estudos que se relacionem com a área de Secretariado Executivo.

Palavras-chave


Gestão de Eventos; Bibliometria; Sociometria.

Texto completo:

PDF

Referências


Alvarenga, L. (1998). Bibliometria e arqueologia do saber de Michel Foucalt: traços de identidade teórico-metodológica. Ciência da Informação, 27(3), 1-9.

Baum, T., Lockstone-Binney, L. & Robertson, M. (2013). Event studies: finding fool’s gold at the rainbow’s end? International Journal of Event and Festival Management, 4(3), 179-185.

Berger, P. L. & Luckmann, T. (1996). A construção social da realidade. Petrópolis, RJ: Vozes.

Bertero, C. O., Caldas, M. P. & Wood, T., Jr. (2005). Introdução: produção científica em administração no Brasil. In C. O. Bertero, M. P. Caldas, & T. Wood Jr. (Orgs). Produção científica em administração no Brasil: o estado-da-arte. São Paulo, SP: Atlas.

Cardoso, A. L. J., Martins, T. S., & Kato, H. T. (2015). Tendências temáticas em capacidades dinâmicas: um mapeamento do campo por meio de um estudo de cocitação. RAI – Revista de Administração e Inovação, 12(2), 38-59.

Cordeiro, J. R., Neto, Santana, L. K. A., Guedes, N. A. & Leão, A. L. M. S. (2017). Uma revisão crítica da pesquisa qualitativa em gestão territorial: panorama da produção brasileira em Administração (2006 -2015). Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, 41.

Eck, N. J., van, & Waltman, L. (2014). Visualizing bibliometric networks. In Y. Ding, R. Rousseau, & D. Wolfram. (Eds.). Measuring scholarly impact: methods and practice (pp. 285–320). London: Springer.

Farrell, J.M., Johnston, M.E. & Twynam, G.D. (1998). Volunteer motivation, satisfaction, and management at an elite sporting competition. Journal of Sport Management, 12(4), 288-300.

Favaretto, J. E. R. & Francisco, E, R. (2017). Exploração do acervo da RAE-Revista de Administração de Empresas (de 1961 a 2016) à luz da bibliometria, text mining, rede social e geoanálise. RAE- Revista de Administração de Empresas, 57(4), 365-390.

Getz, D. (2008). Event tourism: Definition, evolution, and research. Tourism Management, 29(3), 403-428.

Getz, D. (2012). Event studies: discourses and future directions. Event Management, 16(2), 171-187.

Godoi, C. K. & Balsani, C. P. V. (2010). A pesquisa qualitativa nos estudos organizacionais brasileiros: uma análise bibliométrica. In C. K. Godoi, R. Bandeira-de-Mello & A. B. Silva (Orgs.), Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais – paradigmas, estratégias e métodos (2a ed.). São Paulo, SP: Saraiva.

Green, B. C., & Chalip, L. (1998). Sport tourism as the celebration of subculture. Annals of Tourism Research, 25(2), 275-291.

Green, B. C. (2001). Leveraging Subculture and Identity to Promote Sport Events. Sport Management Review, 4(1), 1-19.

Guedes, V. L. S. & Borschiver, S. (2005). Bibliometria: uma ferramenta estatística para a gestão da informação e do conhecimento em sistemas de informação, de comunicação e de avaliação científica e tecnológica. Anais do Encontro Nacional de Ciência da Informação. Salvador, BA, Brasil, 6.

Kim, H., Borges, M. C. & Chon, J. (2006). Impacts of environmental values on tourism motivation: The case of FICA, Brazil. Tourism Management, 27(5), 957-967.

Lee, W., Xiong, L. & Hu, C. (2012). The effect of Facebook users' arousal and valence on intention to go to the festival: applying an extension of the technology acceptance model. International Journal of Hospitality Management, 31(3), 819-827.

Lima, S. H. O. & Leocádio, A. L. (2018). Mapeando a produção internacional sobre inovação aberta. Revista Brasileira de Gestão e Inovação, 5(2), 181-208.

Lotka, A. J. (1926). The frequency distribution of scientific productivity. Journal of the Washington Academy of Sciences, 16(12), 317-323.

Machado-da-Silva, C., Guarido, E. R., Filho., Rossoni, L. & Graeff, J. F. (2008). Periódicos brasileiros de Administração: análise bibliométrica de impacto no triênio 2005-2007. RAC, 2(3), 351-373.

Machado, C., Jr., Souza, M. T. S., Parisotto, I. R. S. & Palmisano, A. (2016). As Leis da Bibliometria em diferentes bases de dados científicos. Revista de Ciências da Administração, 18(44), 111-123.

Ministério da Educação. (2005). Resolução nº 03 de 23 de junho de 2005. Recuperado em 10 setembro, 2019, de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces003_05.pdf

Moreno, J. L. (1992). Quem sobreviverá? Fundamentos da sociometria, psicoterapia de grupo e sociodrama. Goiânia: Dimensão Editora.

Nonato, R., Jr. (2009). Epistemologia e Teoria do Conhecimento em Secretariado Executivo: a fundação das Ciências da Assessoria. Fortaleza: Expressão Gráfica.

Piggin, J., Souza, D. L., Furtado, S., Milanez, M., Cunha, G., Louzada, B. H., Graeff, B. & Tlili, H. (2019). Do the Olympic Games promote dietary health for spectators? An interdisciplinary study of health promotion through sport. European SSport Management Quarterly, 19(4), 481–501.

Rosa, A. F., Mendes, A. C. A., Teixeira, G. M. A. & Martins, S. (2010). Earnings Management no Brasil: uma análise sob a perspectiva sociométrica e bibliométrica. Revista Contabilidade Vista & Revista, 21(4), 189-218.

Rousseau, B. & Rousseau, R. (2000). Percolation as a model for informetric distributions: fragment size distribution characterized by Bradford curves. Scientometrics, 47, 195-206.

Sousa, E. S., Fontenele, R. E. S., Silva, A. L. L. & Sousa, J. M., Filho. (2019). Mapeamento da produção científica internacional sobre intenção empreendedora. Revista Gestão e Secretariado (GeSec), 10(3), 114-139.

Sousa-Mast, F. R., Reis, A. C., Gurgel, L. A. & Duarte, A. F. P. L. A. (2013). Are cariocas getting ready for the Games? Sport participation and the Rio de Janeiro 2016 Olympic Games. Managing Leisure, 18(4), 331–335.

Teixeira, M. L. M., Iwamoto, H. M. & Medeiros H. L. (2013). Estudos bibliométricos em administração: discutindo a transposição de finalidade. Administração: Ensino e Pesquisa, 14(3), 423–452.

Wagen, L., van der, & Carlos, B. R. (2005). Event management for tourism, cultural, business, and sporting events. New Jersey: Pearson.

Zago, A. A., Domingues, C. R. & Silva, A. M. S. (2019). Mobilidade internacional profissional: uma revisão bibliométrica. Revista Gestão e Secretariado (GeSec), 10(1), p. 119-140.

Zanella, L. C. (2011). Manual de Organização de Eventos: planejamento e operacionalização (4a ed.). São Paulo, SP: Atlas.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v12i2.1177

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Francisco Edson Rodrigues da Silva, Joelma Soares da Silva, Elaine Freitas de Sousa, Antonio Roberth Moreira de Alencar Costa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia