Motivação e desafios de empreendedores na criação e manutenção de organizações sociais em Aracaju: estudo de múltiplos casos

Kamille Brilhante, Maria Olave, Abimael Ouro

Resumo


Este estudo buscou analisar como empreendedores sociais criam e mantêm suas instituições. Para tal, foram escolhidas três instituições sociais que atuam em Aracaju, Sergipe, sendo elas: AMO, AVOSOS E GAAC. O método de pesquisa adotado foi o estudo de casos múltiplos com abordagem qualitativa de caráter descritivo, utilizando como técnica de investigação a análise de conteúdo. As informações foram coletadas utilizando um roteiro de entrevista semiestruturado que foram aplicados junto aos representantes de cada instituição. A análise comparativa dos casos mostrou que a motivação dos empreendedores sociais se baseia na satisfação pessoal de ajudar o próximo, sendo a principal fonte de captação de recursos o telemarketing. O empreendedorismo social no contexto pesquisado nasce com o intuito de ajudar ao próximo, mas a manutenção e desenvolvimento demonstra ser de grandes desafios principalmente na área financeira. Os resultados demonstram que a abertura de empreendedorismo desse setor necessita de um planejamento bem estruturado para que a sua manutenção não fique ameaçada.


Palavras-chave


Empreendedorismo Social; Motivação; Organização Social.

Texto completo:

PDF

Referências


Ashoka. (2015). Empreendedorismo Social. Recuperado em 25 março, 2017 de http://brasil.ashoka.org/empreendedores-sociais.

Austin, J., Stevenson, H. & Wei-Skillern, J. (2012). Social and Commercial Entrepreneurship: Same, Different, or Both?. Revista de Administração, São Paulo, 47(3), 370-384.

Ávila, L. V, Barros, I. C. F, Madruga, L. R. R. G. & Schuch Júnior, V. F. (2014). Características das publicações sobre Empreendedorismo (Social) no Web of Science no período 2002-2011. Administração Pública e Gestão Social, 6 (2), 88-100.

Bardin, L. (2011) Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Barendsen, L. & Gardner, H. (2004). Is the social entrepreneur a new type of leader?. Leader to Leader, 1 (34), 43-50.

Baron, R. A. & Shane, S. A. (2011). Empreendedorismo: Uma visão do processo. São Paulo: Thomson Learning.

Barros, A. J. S & Lehfeld, N. A. S. (2000). Fundamentos de Metodologia: Um Guia para a Iniciação Científica. 2. ed. São Paulo: Makron Books.

Bittencourt, I. M., Martins, A. A., Cardoso, C., Desidério, P., Neder, R. & Marques, J. C. (2015). Empreendedorismo Social, seus pressupostos e sua aplicação no desenvolvimento de competências. Investigação Qualitativa em Ciências Sociais, 3(1), 102-107.

Campos, T. M., Martens, C. D. P., Resende, M. R., Carmona, V. C. & Lima, E. (2012). Produção Científica Brasileira sobre Empreendedorismo Social entre 2000 e 2012. REGEPE-Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 1 (2), 60-89.

Carsrud, A. & Brannback, M. (2011). Entrepreneurial motivations: What do we still need to know?. Journal of Small Business Management, 40 (1), 9-26.

Comini, G. M. (2016). Negócios sociais e inovação social: um retrato de experiências brasileiras. 166p. Tese (Livre Docência em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Creswell, J. W. W. (2010). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman.

Dees, J.G. (2018). The Meaning of “Social Entrepreneurship”.2001. Recuperado em 01 fevereiro, 2018 de http://www.caseatduke.org/documents/dees.

Druker, P. F. (1985). Inovação e espírito empreendedor (entrepreneurship): prática e princípios. São Paulo: Pioneira.

Elkington, J & Hartigan, P. (2008). The power of unreasonable people. How social entrepreneurs create markets that change the world. Boston, Massachussetts: Harvard Business Press.

Ferreira, M. F., Correia Junior, M. L., Souza, J. C. & Moreira, R. A. (2017). Desafio da Colaboração: Um recorte sobre o empreendedorismo social–A interface da gestão do terceiro setor em Manhuaçu. Anais do Seminário Científico da FACIG, 1 (2), 1-8.

Filion, L. J. (1999). Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de administração, São Paulo, 34 (2), 5-28, abr/jun.

Fischer, R. M. (2011). Empreendedorismo social: apontamentos para um debate. In: SOLA, L. (Org.) Políticas Sociais – Ideias e Práticas. São Paulo: Editora Moderna.

Fischer, T. M. D. (2002). Poderes locais, desenvolvimento e gestão: uma introdução a uma agenda. In: Fischer, T. M. D. (Org.). Gestão do desenvolvimento e poderes locais: marcos teóricos e avaliação. Salvador: Casa da Qualidade, 12-32.

GEM. (2004). Global Entrepreneurship Monitor. Relatório Executivo -Empreendedorismo no Brasil 2004. Curitiba: IBPQ.

GEM. (2015). Global Entrepreneurship Monitor. Relatório Executivo -Empreendedorismo no Brasil 2015. Curitiba: IBPQ.

Gouveia, W. M. (2016). Empreendedorismo social e contabilidade: uma visão sobre a participação e importância da contabilidade nos negócios sociais, 143f. Dissertação (Mestrado em Ciências) –Faculdade de administração, economia e contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Hisrich, R. D. & Peter, M. P. (2004). Empreendedorismo. 5.ed. Porto Alegre: Bookman.

Hisrich, R. D., Peters, M.P. & Shepherd, D. A. (2009) Empreendedorismo. 7.ed. São Paulo: Bookman.

Instituto de Empreendedorismo Social. (2013). Empreendedorismo Social. Recuperado em 12 setembro, 2017 de http://ies-sbs.org/conhecimento/empreendedorismo_social/.

Locke, E. A. (2000). Motivation, cognition, and action: and analysis of studies of tast goals and knowledge. Applied psychology: An international Review, 49 (3), 408-429.

Monje-Reyes, P. (2011). Economia solidária, cooperativismo y descentralización: la gestión social posta em práctica. Cadernos EBAPE, Rio de Janeiro, 9 (3), 704-723.

Oliveira, E. M. (2004). Empreendedorismo social no Brasil: atual configuração, perspectivas e desafios – notas introdutórias. Revista FAE, 7(2), 9-18, jul/dez.

Omar, A. R. C., Othman, A. S. & Ahmad, A. (2012). Business Venture of the Poor: Performance and Problems. Malaysia: International Journal of Business and Social Science. Special Issue, 3(16), 1-12.

Onozato, E. & Teixeira, R. M. (2010). Processo de Criação de Organizações com Fins Sociais: Estudo de Casos Múltiplos em Curitiba Paraná. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 13(3), 38-52, set/dez.

Praszkier, R. & Nowak, A. (2012). Social entrepreneurship theory and practice. New York: Cambridge University Press.

Roberts, D. & Woods, C. (2005). Changingthe world on a shoestring: the concept of social entrepreneurship. Universityof Auckland Business Review, 7(1), 45-51.

Shane, S., Locke, E. A. & Collins, C. J. (2003). Entrepreneurial motivation. Human Resources Management Review, 13(1), 257-279.

Shane, S. & Venkataraman, S. (2000). The promise of entrepreneurship as a field of research. Academy of Management Review, 25(1), 217-226.

Silva, A. V. D. (2009). Como Empreendedores Sociais Constroem e Mantêm a Sustentabilidade de seus Empreendimentos., 102 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

Silva, P. C. R. (2008). Práticas sustentáveis de empreendedorismo social. Recuperado em 23 julho, 2017 de http://www.craes.org.br/arquivo/artigoTecnico/Artigos_Praticas_sustentaveis_de_empreendedorismo.pdf.

Vergara, S. C. (1998). Relatório de pesquisa em administração. 2. ed. São Paulo: Atlas.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. 4ª ed. Porto Alegre: Bookman, p. 248.

Zucatto, L. C. (2015). Empreendedorismo cooperativo e intercooperação na produção de energia elétrica e de alimentos: evidências do cooperativismo de eletrificação rural gaúcho, 283f. Tese (doutorado em Administração) -Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v12i1.1159

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Kamille Brilhante, Maria Olave, Abimael Ouro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia