A Relação entre a Prática Docente e a Síndrome de Burnout na Rede Pública de Ensino

Brenda Fyamma Fernandes Pimenta, Agostinha Mafalda Barra de Oliveira, Juliana Carvalho de Sousa, Pablo Marlon Medeiros da Silva

Resumo


O objetivo deste estudo consistiu em analisar a relação entre os fatores individuais, sociais, funcionais e organizacionais com a prevalência da SB em professores da rede pública de ensino. Para tanto, a pesquisa, de caráter descritivo e explicativo com abordagem quantitativa utilizou como instrumentos de coleta de dados dois questionários, o Maslach Burnout Inventory “Educators Survey-Es” (MBI-ED) e o Sócio-Funcional (QSF), adaptado de Carneiro (2010), aplicados com 65 professores efetivos de escolas do Estado do Rio Grande do Norte que ministram aulas no ensino médio. Os dados coletados foram submetidos a testes estatísticos envolvendo a correlação de Pearson e Anova com auxílio do SPSS versão 21. Os resultados apontaram que cerca de um quinto dos professores investigados apresentou alta prevalência da síndrome e outros 33% tendência a desenvolvê-la. Houve correlação significa entre um fator pessoal e dois fatores funcionais com uma das dimensões da SB. O estudo traz contribuições relevantes, uma vez que a conscientização organizacional acerca das nuances da síndrome e a adoção de medidas que visem amenizar seus impactos nos indivíduos pode tornar o ambiente de trabalho mais saudável e efetivo.


Palavras-chave


Síndrome de Burnout; Professores; Escolas públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


Alarcon, G. M. (2011). A meta-analysis of burnout with job demands, resources, and attitudes. Journal of Vocational Behavior, 79, p.549–562.

Bertaci, A., Santos, B., Coelho, A., & Suda, E. (2011). Síndrome de burnout e nível geral de saúde em professores universitários. Neurobiology, 74(1), 189-196.

Boujut, E., Popa-Roch, M., Palomares, E. A., Dean, A., & Cappe, E. (2017). Self-efficacy and burnout in teachers of students with autism spectrum disorder. Research in Autism Spectrum Disorders, 36, 8-20.

Brasil (2016). Portal da transparência. Disponível em: http://sigeduc.rn.gov.br/sigeduc/public/transparencia/pages/consulta/relatorio_formacaoServidores/consulta_formacao_servidores.jsf. Acesso em: 28 mar. 2016.

Campos, D. A. Z. (2008). Síndrome de burnout: o esgotamento profissional ameaçando o bem-estar dos professores. Dissertação de Mestrado. São Paulo: UNOESTE.

Carlotto, M. S. (2003). Burnout e o trabalho docente: considerações sobre a intervenção. Revista Eletrônica InterAção Psy, 1(1), 12-18.

Carlotto, M. S., & Câmara, S. G. (2007). Propriedades psicométricas do Maslach Burnout Inventory (MBI) em amostra multifuncional. Rev. Estudos de Psicologia, 1(124), 3.

Carlotto, M. S. (2010). Síndrome de Burnout: diferenças segundo níveis de ensino. Psico, 41(4), 4.

Carlotto, M. S. (2011). Síndrome de Burnout em professores: prevalência e fatores associados. Psicologia: teoria e Pesquisa, 27(4), 403-410.

Carlotto, M. S. (2014). Prevenção da síndrome de burnout em professores: um relato de experiência. Mudanças-psicologia da saúde, 22(1), 31-39.

Carneiro, R. M. (2010). Síndrome de burnout: um desafio para o trabalho docente universitário. 86 f. Dissertação (Mestrado Multidisciplinar em Sociedade, Tecnologia e Meio Ambiente) – Centro Universitário de Anápolis - UniEvangélica, Anápolis, GO.

Cervo, A. L; Bervian, P. A; Silva, R. da. (2007). Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Codo, W. (1999). Educação: carinho e trabalho. Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação.

Colomeischi, A. A. (2015). Teachers burnout in relation with their emotional intelligence and personality traits. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 180, 1067-1073.

Cotrim, P. S., & Wagner, L. C. (2011). Prevalência da síndrome de Burnout em professores de uma instituição de ensino superior. Ciência em Movimento, 14(28), 61-70.

Cunha, K. W. V. da. (2009). A produção científica no Brasil nos anos de 2003 a 2008 sobre síndrome de burnout e docência. 57 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fiocruz, Rio de Janeiro, RJ.

Dalfovo, M. S., Lana, R. A., & Silveira, A. (2008). Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista interdisciplinar científica aplicada, 2(3), 1-13.

Dejours, C. (1988). A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. In A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho.

Escudero-Escudero, A. C., Segura-Fragoso, A., & Cantero-Garlito, P. A. (2020). Burnout Syndrome in Occupational Therapists in Spain: Prevalence and Risk Factors. International Journal of Environmental Research and Public Health, 17(9), 3164.

Fiorelli, J. O. (2000). Psicologia para administradores: integrando teoria e prática . Editora Atlas SA.

Foley, C., & Murphy, M. (2015). Burnout in Irish teachers: Investigating the role of individual differences, work environment and coping factors. Teaching and Teacher Education, 50, 46-55.

Gerber, B., Scriba, J., Geissler, A., Reckling, H., Fischer, M., Karl, D., ... & Benrath, J. (2020). Pilot study on subjectively and objectively measurable stress reduction in the daily routine of a university anesthesia department by an intervention program according to mindfulness-based stress reduction. Der Anaesthesist.

Gil-Monte, P. R. (2008). Magnitude of relationship between burnout and absenteeism: a preliminary study. Psychological reports, 102(2), 465-468.

Gómez-García, R., Alonso-Sangregorio, M., & Llamazares-Sánchez, M. L. (2019). Burnout in social workers and socio-demographic factors. Journal of Social Work, 1468017319837886.

Hypolito, Á. M., & Grishcke, P. E. (2013). Trabalho imaterial e trabalho docente. Educação, 38(3), 507-522.

Ibge. Cidades: Panorama. Mossoró. 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rn/mossoro/panorama. Acesso em: 01 nov. 2017.

Ju, C., Lan, J., Li, Y., Feng, W., & You, X. (2015). The mediating role of workplace social support on the relationship between trait emotional intelligence and teacher burnout. Teaching and teacher education, 51, 58-67.

Kim, J., Youngs, P., & Frank, K. (2017). Burnout contagion: Is it due to early career teachers' social networks or organizational exposure?. Teaching and Teacher Education.

Larson, R., Farber, B., & Cyro; traducão técnica Patarra. (2004). Estatística aplicada. Prentice Hall.

Mahan, P. L., Mahan, M. P., Park, N. J., Shelton, C., Brown, K. C., & Weaver, M. T. (2010). Work environment stressors, social support, anxiety, and depression among secondary school teachers. AAOHN Journal, 58(5), 197-205.

Maroco, J., & Garcia-Marques, T. (2006). Qual a fiabilidade do alfa de Cronbach? Questões antigas e soluções modernas?. Laboratório de psicologia, 65-90.

Maslach, C., & Jackson, S. E. (2008). The measurement of experienced burnout. Journal of Occupational Behaviors. 1981; 2: 99-113.

Maslach, C., Schaufeli, W. B., & Leiter, M. P. (2001). Job burnout. Annual review of psychology, 52(1), 397-422.

Mehta, A. (2013). A study of how emotional intelligence reduces occupational stress among teachers. International Monthly Refereed Journal of Research in Management and Technology, 2, 19-28.

Paparelli, R. (2009). Desgaste mental do professor da rede pública de ensino: trabalho sem sentido sob a política de regularização de fluxo escolar. 194 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Pereira, A. M. T. B., Jiménez-Moreno, B., Kurowski, C. M., Amorim, C. A., Cartollo, R. S., Garrosa, E. S., & González, J. L. (2010). Burnout: Quando o trabalho ameaça o bem estar do trabalhador.(4º ed.) São Paulo: Casa do Psicólogo.

Pinto, G. A., & Chavez, J. R. A. (2012). O uso do coeficiente alfa de Cronbach nos resultados de um questionário para avaliação dos serviços no setor de transporte urbano por ônibus. Comunicaçao apresentada no Encontro Nacional de Engenharia de Produçã, Universidade Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul. Recuperado de http://www. abepro. org. br/biblioteca/enegep2012_tn_sto_158_924_19802. pdf.

Richardson, R. J. (2012). Pesquisa social: métodos e técnicas. 14. Reimpr. São Paulo: Atlas.

Rocha, F. L. R., de Jesus, L. C., Marziale, M. H. P., Henriques, S. H., Marôco, J., & Campos, J. A. D. B. (2020). Burnout syndrome in university professors and academic staff members: psychometric properties of the Copenhagen Burnout Inventory–Brazilian version. Psicologia: Reflexão e Crítica, 33(1), 1-11.

Robertson, C., & Dunsmuir, S. (2013). Teacher stress and pupil behaviour explored through a rational-emotive behaviour therapy framework. Educational Psychology, 33(2), 215-232.

Sharplin, E., O’Neill, M., & Chapman, A. (2011). Coping strategies for adaptation to new teacher appointments: Intervention for retention. Teaching and Teacher Education, 27(1), 136-146.

Silva, N. R. D. (2011). Fatores determinantes da carga de trabalho em uma unidade básica de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 16, 3393-3402.

Skaalvik, E. M., & Skaalvik, S. (2010). Teacher self-efficacy and teacher burnout: A study of relations. Teaching and teacher education, 26(4), 1059-1069.

Sousa, J. C. de. (2014). Síndrome de burnout nos docentes do curso de administração da Universidade Federal Rural do Semi-Árido. 77 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Administração) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, RN.

Trigo, T. R., Teng, C. T., & Hallak, J. E. C. (2007). Síndrome de burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo), 34(5), 223-233.

Vidal, E. R. S. (2017). Síndrome de Burnout em Professores. Pedagogia em Ação, 9(1), 39-46.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v12i1.1151

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Brenda Fyamma Fernandes Pimenta, Agostinha Mafalda Barra de Oliveira, Juliana Carvalho de Sousa, Pablo Marlon Medeiros da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia